O Vetor

O vetor da leishmania chagasi é um inseto pertencente à Ordem Díptera, Família Psychodidae, Subfamilía Phlebotominae, Gênero Lutzomyia longipalpis. No Brasil este inseto recebe nomes populares como de mosquito palha, asa dura, cangalha, cangalhinha, birigui, tatuíra entre outros. São menores que os pernilongos comuns, de coloração clara (cor de palha ou castanho claro), com grandes asas pilosas dirigidas para trás e para cima, cabeça fletida para baixo, são facilmente reconhecidos pela forma quando pousam, permanecem com as asas erectas e entreabertas. As fêmeas exercem hematofagia, preferencialmente no horário noturno a partir das 20:00horas.
Vive naturalmente nas matas, seus criadouros são: raízes tubulares de árvores, ocos, depressões, buracos de troncos e toca de animais: entre e sob rochas fendas e juntas. Adaptando-se facilmente ao domicílio e peri-domicílio passando a viver no interior das casas, em abrigos de animais domésticos, tais como galinheiros, chiqueiros e em todos os lugares onde encontra condições favoráveis ao seu desenvolvimento e fonte de alimentação sanguínea.

 As fêmeas necessitam de sangue para o desenvolvimento dos ovos. Não gostam de luz solar, frio, excesso de umidade e vento. A depositação de ovos é feita em matéria orgânica úmida.

- Leishmania amazonensis: os vetores são Lutzomyia flaviscutellata e Lu. olmecanociva (Amazonas e Rondônia), que têm hábitus noturnos vôo baixo e são pouco antropofílicos.

-Leishmania guyanensis: o principal vetor é Lutzomyia umbratilis, que costuma pousar durante o dia em troncos de árvores. Quando o mosquito é pertubado, ataca o homem em grande quantidade.

-Leishmania braziliensis: o único vetor individualizado é o Psychodopigus wellcomei, encontrado na Sera dos Carajás, altamente antropofílico, picando o homem mesmo durante o dia e com grande atividade na estação da chuva.





Voltar