Diagnóstico Diferencial para LTA

*Nas lesões cutâneas devem ser excluídas  as úlceras traumáticas, as úlceras de estase, a úlcera tropical, úlceras de menbros inferiores por anemia falciforme, piodermites, espororotricoses, cromomicoses, alguns tipos de carcinoma, sífilis e tuberculose cutânea. A hanseníase virchowiana deverá ser excluída principalmente no diagnóstico da leishmaniose cutânea.

*Nas lesões mucosas o diagnótico diferencial deve ser feito com a paracoccidioido-micose, carcinoma epidermóide, hanseníase virchowiana, rinoscleroma, boula, sífilis terciária e granuloma médio facial.

Diagnótico Laboratorial

Baseia-se na evidenciação do parasito e em provas imunológicas.

Exame Parasitológico:


A demonstração do parasito é feita por meio de exames direto ou indireto.

- Demonstração direta do parasito é o procedimento mais rápido, de menor custo e de fácil execução.

Para  pesquisa direta são utilizado os seguites procedimentos: escarificação, punção aspirativa e biópsia com impressão por aposição.

O sucesso no encontro do parasito é inversamente proporcional ao tempo de evolução da lesão cutânea, sendo raro após um ano.

Voltar