Tratamento da LTA

A droga recomendada pela OMS é o N-metil-glucamina - Glucantime, a dose deste antimônio deve ser calculada em mg/SbV/kg/dia, SbV significa antimônio puro. 

Este antimonial é indicado para o tratamento de todas as formas de  leishmanioses tegumentar, embora as formas mucosas e cutaneomucosas exijam maior cuidado, por apresentarem respostas mais lentas e maior possibilidade de recidivas.

Não havendo respostas satisfatória com o tratamento pelo antimonial as próximas drogas a serem usadas são a Anfotericina B e a Pentamidina, essa última com autorização do Ministério de Saúde para ser  comecializada no Brasil.

Após o término da terapêutica, os pacientes devem ser submetidos ao acompanhamento clínico e laboratorial para avaliação da resposta e também para a detecção de possível recidiva após terapia inicial bem-sucedida.


Critérios de Cura

Nas lesões cutâneas o critério de cura é definido pela epitelização das lesões ulceradas, regressão total da infiltração e eritema, até três meses após a conclusão do esquema terapêutico.

Nas lesões cutaneomucosa o critério de cura é definido pela regressão de todos os sinais e comprovado pelo exame otorrinolaringológico, até seis meses após a conclusão do esquema terapêutico.

O paciente deve retornar mensalmente à consulta durante três meses consecutivos após o término do esquema terapêutico para ser avaliada a cura clínica. Uma vez curado, o mesmo deverá ser acompanhado de dois em dois meses até completar 12 meses após o tratamento.



Lesão cutâneomucosas em nariz e cicatriz após dois meses de tratamento com antimoaniato.

Lesão ulcerosas no braço direito e cicatrizes atróficas seis meses após a tratamento.

Voltar