Modo de transmissão

No Brasil, a forma de tramissão é através da picada de uma das várias espécies de flebotomíneos pertencentes a diferentes gêneros (Psychodopygus ou Lutzomyia).

Não ocorre transmissão direta de pessoa para pessoa.

A transmissão ocorre enquanto houver o parasitismo na pele ou no sangue periférico do hospedeiro. 


Ciclo de Trasmissão

O vetor Lutzomyia ao picar um animal ou um homem infectado, o inseto suga, juntamente com o sangue, o parasito (Leishmania) que causa a doença; no intestino do inseto, o parasito se multiplica. Ao picar o homem ou outro animal sadio, o flebótomo inocula o parasitoque no homem, no cão ou na raposa, o parasito se multiplica principalmente no baço, fígado e medula óssea, provocando a doença.


Período de Incubação

Na Leishmaniose Visceral o período de incubação é bastante variável tanto para o homem como para o cão.

No homem varia de 10 dias à 24 meses com média entre 2 à 6 meses. No cão varia de 3 meses à vários anos com média de 3 à 7 anos  

Na Leismaniose Tegumentar o período de incubação é em média de 1 mês, podendo ser mais curto (2 semanas) e mais longo (de seis a doze meses).


Voltar